energia
Termoelétrica de Sergipe tem 50% das obras concluídas
No momento, 2. 608 pessoas trabalham no empreendimento na Barra dos Coqueiros
Economia 07/06/2018 15:34

Representantes do governo do Estado, entre eles a secretária de Estado da Casa Civil, Conceição Vieira, representando o governador Belivaldo Chagas, visitaram, nesta quinta-feira, 07, as obras de construção da Usina Termoelétrica Porto de Sergipe. O projeto é desenvolvido pela Centrais Elétricas de Sergipe (Celse), empresa controlada pela Ebrasil e a Golar Power Ltd. Essa será a maior e mais eficiente usina termoelétrica da América Latina.

Segundo presidente da Celse, Pedro Litsek, as obras estão com 50% do serviço em andamento e a empresa se prepara para recepcionar, nos próximos dias, as turbinas a gás - principais equipamentos da usina. Litsek destacou ainda, o diferencial da Porto de Sergipe com relação a grandiosidade e eficiência energética. “É uma usina de última geração, com maior eficiência disponível hoje no mundo. Ela vai proporcionar uma energia firme, barata e fundamentalmente adequada para o sistema brasileiro de produção de energia. A gente anunciou, neste evento, a chegada das turbinas a gás, o coração da usina. E vamos iniciar o transporte até aqui. Uma vez concluído isso, vamos caminhar a passos largos para concluir o nosso compromisso”.

O governo do Estado de Sergipe classifica o projeto UTE Porto de Sergipe como histórico para o estado, pelos investimentos e pela cadeia de novos negócios a serem gerados. 

“Os benefícios são imensos para Sergipe. Nós acabamos de assistir a explanação feita pelos principais gerentes do empreendimento e fica cada vez mais claro a importância capital deste projeto. Sergipe teve seu momento com o boom da Petrobrás há mais de 40 anos, mas há uma deficiência nessa área hoje. Então, a Celse chega e vimos que o que que está sendo implantado aqui não é simplesmente mais um empreendimento”, afirmou Conceição Vieira

O Estado também têm demonstrado especial interesse em aumentar a participação dos trabalhadores e potencializar a participação das empresas sergipanas no processo de implantação da Usina Termoelétrica Porto de Sergipe. “É uma obra que traz impactos importante no que diz respeito ao desenvolvimento econômico, a emprego e responsabilidade social, já assumida pela empresa com o governo de Sergipe e com o município de Barra dos Coqueiros. Investimentos com a reforma do Teatro Tobias Barreto, Arquivo Público, Biblioteca Epifânio Dória; na infraestrutura da Barra dos Coqueiros e na prioridade de empregar mão de obra sergipana. Claro que entendemos que existem qualificações técnicas específicas que demandam expertises em determinadas áreas e a necessidade de contratação de profissionais de fora também, mas a grande maioria está sendo de mão de obra sergipana. Por tudo isso, o governador Belivaldo Chagas, com sua responsabilidade econômica e social, fica muito feliz ao encontrar parceiros à altura desse seu compromisso, com credibilidade e seriedade com o desenvolvimento econômico de Sergipe”, completou a secretária de Estado da Casa Civil. 

De acordo com Pedro Litsek, no momento, 2. 608 pessoas trabalham na obra no estado. Destes, 1.514 são trabalhadores de Sergipe. Em sua explanação sobre o projeto, o gerente do projeto da General Eletrics em Sergipe, Adriano Cezário, informou ainda que 160 empresas de Sergipe foram contratadas pela GE, gerando mais de R$ 70 milhões em contratos no estado. “Estas empresas, que fornecem produtos e serviços a GE, empregam 4.000 pessoas”, explicou Cezário.  

A americana GE (General Eletrics) Power Services é responsável pela execução do contrato no valor de US$ 1,116 bilhão para construir e operar a planta. A duração do acordo da GE com a Celse é de 25 anos. 

“O grande diferencial da GE neste empreendimento é a capacidade de entregar equipamentos de ponta, não só na área de geração de energia, mas também na transmissão de energia. A GE é responsável pela engenharia, fabricação e instalação de equipamentos. Nós iniciamos a fase de montagem eletromecânica. A primeira fase, que foi a obra civil também foi muito importante porque tivemos grandes desafios. Mas agora, iniciamos uma nova etapa, na qual nós temos acesso aos nossos equipamentos fabricados ao redor do mundo. As turbinas, por exemplo, foram fabricadas nos Estado Unidos, com recorde de eficiência atestado pelo Guines Book. Nossa expectativa é que até o final do mês, iniciemos a montagem delas”, esclareceu Adriano Cezário.

Investimento

No último dia 08 de maio, representantes das Centrais Elétricas de Sergipe (Celse) informaram ao governador a conclusão do processo de captação de recursos externos, o que vai garantir a celeridade na conclusão da obra. 

Os valores serão disponibilizados por bancos e organismos multilaterais ao longo de 2018 e 2019. O empreendimento localizado em Barra dos Coqueiros representa o maior investimento privado já feito em Sergipe. O financiamento de aproximadamente R$ 5 bilhões está estruturado da seguinte forma: aproximadamente R$ 3,4 bilhões por meio da emissão pela Celse de debêntures simples não-conversíveis, com a cobertura da agência suíça de crédito à exportação, SERV (Swiss Export Risk Insurance), e com o Goldman Sachs Brasil como coordenador líder da emissão.

Além disso, o projeto vai receber o equivalente em reais a US$ 200 milhões da IFC (International Finance Corporation), organismo do Grupo Banco Mundial voltado a investimentos no setor privado, e US$ 288 milhões do IDB Invest, braço do Inter-American Development Bank para investimentos no setor privado.

A usina

A UTE Porto de Sergipe integra o Complexo de Geração de Energia Governador Marcelo Déda. O projeto irá receber um total de investimento de cerca de R$ 5 bilhões, o maior investimento feito pela iniciativa privada no estado. A usina deverá entrar em operação a partir de 2020.

“Neste momento de restrição aos investimentos públicos e privados no Brasil, poucos estados podem ter o orgulho de ter uma obra com um montante de R$ 5 bilhões em construção, que é o caso de Sergipe agora com a construção da UTE Porto de Sergipe. Além de ser uma obra tão relevante do ponto de vista do volume de investimentos que ela trouxe para o estado, são benefícios que vão perdurar por uma geração inteira, baixando o custo de energia, operando em uma situação ambiental e socialmente correta, gerando emprego e renda para o estado de Sergipe. É um grande trunfo que o governo do Estado vem perseguindo há muitos anos”, pontuou o assessor do governo para Projetos de Desenvolvimento, José Oliveira Júnior. 

Oliveira Júnior pontuou os ganhos também no campo do conhecimento e tecnologia para o estado. “Esse é um ponto que o governo do Estado tem reivindicado bastante, que é a presença de uma empresa como a Celse e a General Eletric em setores que exigem tecnologia de ponta como energia e gás. É fundamental que a gente aproveite a realização desses investimentos para também trazer outras pesquisas e também outros desenvolvimentos tecnológicos através do compartilhamento da expertise dessas empresas”.

Para dimensionar o empreendimento deve-se assinalar que a UTE Porto de Sergipe poderá sozinha atender a 15% da demanda de toda a região Nordeste.

O prefeito da Barra dos Coqueiros, Airton Martins, também falou dos benefícios trazidos pela termoelétrica ao seu município.  “Tem uma importância muito grande para o município e para o estado. É uma obra que gera emprego, renda e tem uma grande importância social também. É importante para arrecadação de impostos, o que ajudará a melhorar a cidade”.

Adicionalmente à UTE Porto de Sergipe, um terminal de regaseificação será criado e operado pela Golar na costa de Sergipe, próximo às instalações do TMIB – Terminal Marítimo Inácio Barbosa. A realização desse investimento abrirá grandes oportunidades de investimentos na cadeia produtiva de petróleo, gás e energia em Sergipe, inclusive em razão da oferta de gás natural que importado chegará ao Brasil a partir do Terminal de Regaseificação.

“Sergipe está colaborando com o sistema elétrico nacional. No futuro, o gás como matéria prima, com fabricação de fertilizantes e qualquer ideia de parque industrial que precise de gás, nós teremos esse produto em estrema abundância, seja para projeto da Carnalita, para indústrias de cerâmicas, vidros, entre outros. Isso será um diferencial para economia sergipana”, enfatizou o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec), José Augusto Pereira.

O gestor da Sedetec afirmou ainda que neste mês, o consulado norueguês visitará visitar o estado em virtude da termoelétrica. “A Golar é uma das empresas sócias na Usina e é norueguesa. Pela importância e dimensão do projeto, o governo da Noruega achou interessante esta visita. Estamos preparando para apresentar para eles tudo que a gente achou que seria relevante e que possa interessar ao governo da Noruega e seus investidores. Por exemplo, o Parque Eólico que foi citado por eles como fonte de energia renovável. A Noruega é uma parceria importante pelo gás, pela sua tradição no mercado de petróleo no mundo. Certamente, eles estão vislumbrando a possibilidade de novos negócios em Sergipe”, detalhou.

Fonte: Agência Sergipe

Mais Notícias de Economia
14/08/2018 07:55 ANP prepara mudanças na divulgação de preços de combustíveis
Proposta deverá ser submetida a uma consulta pública até o final de setembro
13/08/2018 14:55 Sergipe fecha 1º semestre com saldo negativo na geração de emprego
Economia indica perda de confiança no mercado nacional para os próximos meses
13/08/2018 14:42 Prefeitura firma acordo com TJ para pagamento de precatórios
Ficou estabelecido um prazo de 12 meses para quitação dos precatórios de 2016 e 2017
13/08/2018 12:30 PIS: resgate para trabalhadores de todas as idades começa nesta terça
As pessoas que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988 têm direito ao saque
13/08/2018 11:45 Sergipe aceita alteração no prazo para venda de carro por PCDs
Pessoas com deficiência agora só podem revender carro após quatro anos