Liderança no Futebol
Blogs e Colunas | Diego da Costa 25/06/2018 21:16

No dia 14 de junho de 2016 o gaúcho de Caxias do Sul, Adenor Leonardo Bacchi, conhecido por todos como Tite, decidiu ouvir a proposta da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para se tornar técnico da seleção pentacampeã. Naquela época o Treinador comandava o Corinthians e viveu um dos maiores dilemas de sua vida. Adorava o time em que trabalhava. Mas acabara de receber uma oferta para realizar um sonho. A história é que desde 2016 os indicadores mostram. São 17 vitórias nos últimos 21 jogos da Seleção brasileira. Agora 22 jogos após a estréia na Copa da Rússia conta a Suíça. O que mudou? Bem, um dos fatores foi a entrada de Tite como técnico do time. Com um aproveitamento de 85,7% de Tite, há apenas uma derrota em uma partida contra a Argentina. Fora o incidente, além das 17 vitórias, ocorreram quatro empates. A boa fase da seleção começou em Quito, quando o Brasil fez 3 a 0 na equipe do Equador. A estreia de Tite no comando da Seleção foi marcada pelos gols de Gabriel Jesus (2) e Neymar (1). De lá para cá, a esperança despertada nos brasileiros só se consolidou, e o hexacampeonato volta a ser cogitado. O Treinador usa muitas técnicas de liderança na formação do time. Destaque da Revista Você S/A de Janeiro de 2017 que apresenta, em resumo, as lições usadas por Tite. (1) Motivação Intrínseca: Tite tem uma grande preocupação em entender qual é o motivador de cada um de seus atletas. Ele mostra grande sabedoria ao mostrar que entende que pessoas diferentes valorizam coisas diferentes e, portanto, precisam de um plano motivacional diferente; (2) Laços de Confiança: a liderança do comandante está muito fortemente lastreada na confiança, que nasce de sua preocupação em cultivar um caráter ilibado e uma imagem de competência e domínio da sua área de atuação; (3) Transparência Total: Stephen Covey já enfatizava a importância da transparência como forma de construir confiança. O consultor esclarece que é necessário “talk strainght”. Tite coloca o princípio em prática e vem colhendo bons frutos; (4) Leitura dos Liderados: o ponto de partida para uma boa liderança é a capacidade de entender cada liderado e suas idiossincrasias. Para isso é fundamental empatia, que só existe quando se presta genuína atenção nas pessoas; (5) Meritocracia com Competição Leal: equilibrar competitividade interna com respeito pelos colegas é um ingrediente importante em qualquer organização. E essencial num time de futebol onde cada posição é constantemente disputada por pelo menos dois jogadores. Na seleção brasileira, então nem se fala. Afinal sempre há centenas de opções para cada vaga. Tite sabe equilibrar esses dois elementos e valorizar aqueles que competem com lealdade. (6) Aperfeiçoamento Pessoal e da Equipe: ele investe muito em seu desenvolvimento profissional – a ponto de ter dado uma parada na própria carreira em busca de aperfeiçoamento há um tempo atrás. E não é menos exigente com seus liderados, de quem espera sempre a busca constante pela excelência; (7) Aprender com as Frustrações: todos erram, mas só os grandes conseguem digerir suas falhas e regurgitar aprendizados que, com humildade, são usados nos próximos passos; e (8) Lidar com a Pressão: se ter um chefe já é sinal de ter pressão, imaginem ter milhares de chefes – afinal a maioria dos brasileiros se julga expert em futebol e cobra de Tite ancorado nessa autoimagem. Aguentar essa situação, onde os resultados não são trimestrais – as vezes são bi-semanais – é desgastante e exige serenidade e equilíbrio emocional.

Manual de Perícia do Profissional de Administração

Segundo o artigo 2º da Lei 4.769 e do artigo 145 do Código de Processo Civil, a área de Perícia Judicial e Extrajudicial pode ser exercida por profissionais de administração. Ciente dessa importância, o Conselho Federal de Administração (CFA) tem dado uma atenção especial para este segmento que, a cada dia, cresce mais. Para isso, criou a Comissão Especial de Perícia Judicial, Extrajudicial e Administração Judicial (Cepaj), que é Coordenada pelo Administrador Francisco Carlos Santos de Jesus e formada por profissionais de administração especialista em Pericias. Uma das ações mais recentes da autarquia é a oferta do ”Manual de Perícia Judicial do Profissional de Administração”. A capacitação é ofertada por meio da Universidade Corporativa do Administrador (UCAdm) e é o primeiro dentro do “Programa CFA de Educação”. O curso é oferecido on-line com carga horária de dez horas. Ele está disponível, inclusive, para dispositivos móveis. Ao todo, são sete aulas e além disso, estão previstos exercícios práticos. Ao final, os participantes recebem certificado. Inscrições – Os profissionais de administração interessados devem procurar o CRA do qual é vinculado. Fonte: CFA com alterações.

PENSAMENTO: “Muitas vezes é a falta de caráter que decide uma partida. Não se faz literatura, política e futebol com bons sentimentos.” Nelson Rodrigues

Notícias em Sergipe
Mais Notícias de Diego da Costa
23/07/2018 10:55 Empresas familiares e processo decisório
07/07/2018 11:21 Pacto pela Inovação I
11/06/2018 15:11 Relacionamentos interpessoais no ambiente de trabalho: pessoa difícil de lidar
11/06/2018 14:44 1º ADM PITCH
01/06/2018 10:10 Gestão na área de educação
Blogs e Colunas
Diego da Costa
Diego da Costa é Administrador, CRA-SE 203501, Especialista em Marketing, Líder Coach Psicopositivo, Coach ISOR, Conselheiro Federal de Administração representando Sergipe, Associado fundador do Rotary Club de Aracaju Nova Geração, fundador do Conselho de Jovens Empreendedores de Sergipe, Consultor e Mentor.

E-mail: diego.costa@crase.org.br