(79) 99659-0055
Economia
08/02/2018 19:15:00- Atualizado em 09/02/2018 13:49:59
Em Aracaju, preço dos alimentos começa o ano em alta

Por Will Rodriguez

O recuo da cesta básica vendida em Aracaju sentido pelo consumidor no final de 2017 não durou muito tempo. O primeiro mês deste ano terminou com alta de quase 3% nos preços dos alimentos contidos na cesta , conforme  pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

De acordo com o Dieese, apesar do aumento, em janeiro o valor da cesta aracajuana foi de 349.97, considerada a segunda mais barata do país, perdendo apenas para a cesta vendida em Salvador, cujo custo total apurado foi de R$ 333,98.

Os economistas do Departamento destacaram o aumento do quilo do tomate de quase 40%, motivado pela pouca oferta devido à redução da área plantada e às chuvas, que influenciaram na qualidade do fruto. O outro item que pesou mais no bolso do aracajuano foi o tradicional pão francês que, no mês pesquisado, ficou um por cento mais caro.  

No entanto, para comprar farinha, óleo, banana, açúcar, feijão e leite, o aracajuano gastou menos, segundo a pesquisa do Dieese. A queda nos preços desses produtos oscilou entre 2 e 9,8 pontos percentuais. Na maioria dos casos, conforme os economistas, a baixa demanda do consumidor, associada ao menor poder de compra do brasileiro, puxaram a retração dos preços no varejo.

Com base na cesta mais cara, a de Porto Alegre, o salário mínimo ideal para uma família de quatro pessoas deveria ser R$ 3.752,65, equivalente a 3,93 vezes o mínimo atual de R$ 954, segundo os pesquisadores. Há um ano, a estimativa era de R$ 3.585,05.

 

Foto: Jadilson Simões/ Jornal da Cidade

Notícias em Sergipe
Outras notícias sobre Economia
ColunistasVer todos
Mais Entretenimento
Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
F5 News - © 2016.
criação de site