(79) 99659-0055
Cotidiano
20/11/2017 13:15:00- Atualizado em 20/11/2017 16:05:35
MPE diz que Saúde não comprovou crédito com Hospital de Cirurgia

Por Will Rodriguez

O Ministério Público de Sergipe disse hoje (20) que a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) não comprovou o crédito que diz ter com o Hospital Cirurgia. O atraso nos repasses da Prefeitura de Aracaju compromete o atendimento há cerca de 20 dias na unidade de saúde beneficente, que atua na retaguarda do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse).

Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, os promotores da Promotoria da Saúde informaram que a questão já foi judicializada e a gestão municipal assumiu, há cerca de um ano, compromisso de manter a regularidade dos pagamentos ao hospital, o que não vem ocorrendo.

“O Município se obrigou a, cada vez que vencesse a parcela mensal, fazer a comprovação do pagamento dentro do processo (judicial). No entanto, unilateralmente, sem dar satisfação ao Poder Judiciário, vem suspendendo o repasse alegando não ter interesse em prolongar o contrato, no entanto faz aditivos, mostrando falta de planejamento a longo prazo, são  improvisações”, disse o promotor Fábio Viegas.

O contato celebrado com o Cirurgia em 2015 termina no próximo mês e a Secretaria da Saúde diz ter um montante da ordem de R$ 4,3 milhões em repasses que teriam sido feitos ao Hospital sem que os serviços tivessem sido efetivamente prestados. Porém, segundo o promotor Alex Maia, esse saldo “não foi comprovado no processo judicial e nem fora dele”.

Preocupa os promotores o fato de que o Hospital de Cirurgia atua na retaguarda do maior hospital de Sergipe e é um dos poucos do Estado habilitados pelo Ministério da Saúde para atendimento de algumas especialidades, como neurocirurgia, ortopedia e cardiovascular.

“Essas especialidades são que, na verdade, desafogam o Huse”, afirmou Maia, fazendo referência à grande quantidade de pacientes que estão no Hospital impossibilitados de serem transferidos para o Huse.  

Troca de Gestão

Na coletiva, os promotores também informaram que existem extrajudicialmente tratativas no sentido de que o governo do Estado assuma o contrato junto ao Hospital Cirurgia, muito embora o Município de Aracaju tenha a prerrogativa de fazer a gestão plena da área.

Estes entendimentos, conforme salientou o promotor Alex Maia, estão sendo mantidos em alinhamento com o Ministério Público Federal (MPF), uma vez que parte dos recursos do cofinanciamento vem da União, que não tem atrasado seus repasses.

“Se o Município entende que o Cirurgia não interessa mais, ótimo, mas enquanto tiver um contrato precisa garantir o  acesso dos usuários do SUS a esse hospital”, concluiu o promotor, advertindo que a Prefeitura poderá ter as contas bloqueadas, caso pacientes recorram ao MPE para reclamar da desassistência.   

F5 News procurou a Secretaria da Comunicação da Prefeitura de Aracaju que encaminhou a seguinte nota:

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que mantém a posição exposta pela secretária Waneska Barboza durante a coletiva de imprensa na última sexta-feira (17), onde foi explicado todo processo que gerou o crédito da Prefeitura de Aracaju para com o Hospital de Cirurgia (HC), no valor que supera os R$ 4 milhões.

Além disso, a SMS declara que todos os comprovantes de pagamento estão sendo encaminhados ainda essa semana para os órgãos fiscalizadores (Ministérios Públicos Federal e Estadual e Tribunal de Contas do Estado), com o objetivo de promover a devida apuração dos fatos mediante os documentos oficiais.

A secretária da Saúde de Aracaju também reforça que continuar liberando dinheiro do tesouro municipal ao HC pode ser configurado como improbidade administrativa por lesão ao erário, e que apoia a abertura de investigações que elucidem definitivamente os fatos que envolvem essa problemática.

Notícias em Sergipe
Outras notícias sobre Cotidiano
ColunistasVer todos
Mais Entretenimento
Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
F5 News - © 2016.
criação de site