Saumíneo Nascimento
08/10/2017 06:26:00
The Sveriges Riksbank – O Banco Central da Suécia e o Prêmio Nobel de Economia

Abordarei algumas das características do Banco Central da Suécia, considerando-se que é o Banco Central mais antigo do mundo (começou a operar em 1668) e trezentos anos depois em 1968, instituiu o Prêmio Nobel de Economia em memória de Alfred Nobel.

O Riksbank é o banco central da Suécia e uma autoridade sob o Riksdag, o parlamento sueco. O trabalho do Riksbank implica na emissão de moeda e na garantia de que ela mantenha seu valor ao longo do tempo. Isso é conhecido como política monetária e o objetivo é manter a inflação, isto é, o aumento geral dos preços, em um nível baixo e estável. O Banco também tem a tarefa de garantir que os pagamentos na economia possam ser feitos com segurança e eficiência.

O Riksbank tem o mandato da Riksdag de promover um mecanismo de pagamento seguro e eficiente. Isto significa que o Riksbank deve agir para promover a estabilidade no sistema financeiro sueco como um todo. O mandato também inclui a emissão de notas e moedas. Além disso, o Riksbank fornece um sistema de pagamento eletrônico, o RIX, que lida com pagamentos de grande porte entre bancos e outros atores de forma segura e eficiente.

O Riksbank, atuando na tradição dos Bancos centrais, analisa a estabilidade do sistema financeiro de forma contínua, a fim de detectar, em um estágio inicial, mudanças e vulnerabilidades que possam levar a interrupções. A análise centra-se principalmente nos principais grupos bancários suecos, no funcionamento dos mercados financeiros e na infraestrutura financeira necessária para os pagamentos e os mercados financeiros na Suécia para funcionarem sem problemas. Se ocorrer uma situação de crise, o Riksbank pode, em certas circunstâncias, fornecer ajuda de liquidez temporária aos bancos.

O Riksdag deu ao Riksbank um status independente, lógica de funcionamento dos vários Bancos Centrais. Dessa forma, a Diretoria Executiva do Riksbank toma as decisões de política monetária sem instruções de outras partes. Ao delegar a tarefa de manter a inflação em um nível baixo e estável para o Riksbank, o Riksdag assegurou que a política monetária se baseie numa perspectiva de longo prazo e que haja uma base sólida para a credibilidade da meta de inflação. 

Este Banco Central mais antigo do mundo que apresento neste breve ensaio pertence a um país que tem uma economia relativamente pequena, porém com economia aberta que é altamente afetada pelas ocorrências da economia mundial. 

A eficiência de atuação do Riksbank advém dele participar regularmente em cerca de 180 comitês internacionais e grupos de trabalho. Além disso, o Riksbank também tem contatos diretos com Bancos Centrais em outros países para discutir questões de interesse comum ou para fornecer assistência técnica (assessoria aos Bancos Centrais nas economias emergentes).

O Riksbank é membro do Sistema Europeu de Bancos Centrais (SEBC), participa do Fundo Monetário Internacional (FMI), pois a Suécia coopera estreitamente com os países nórdicos e bálticos e forma um círculo eleitoral conjunto com eles no FMI.  Juntamente com vários outros Bancos Centrais, o Riksbank está envolvido no trabalho do Banco de Compensações  Internacionais (BIS), que prepara e elabora normas e padrões para várias partes do sistema financeiro mundial.  Na Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Riksbank participa em discussões de política econômica com representantes de outros Estados membros.

Esta abordagem que aponto do Riksbank é por conta de sua longa história de Banco Central em que já vivenciou muitos dos problemas que os economistas abordaram, mais cedo ou mais tarde, em trabalhos teóricos. Por conta disso, ocorreram ocasiões em que o Riksbank falhou e às vezes conseguiu resolver os problemas complexos de forma rápida e surpreendente. Mas, para isso, o Riksbank aprendeu com a experiência de outros países, e às vezes a própria ciência econômica conseguiu guiar o caminho da solução requerida.

Este vínculo de atuação direto com a Economia, servindo em alguns momentos como laboratório de experiência, foi o que em minha opinião levou a instituição, quando completou o seu 300º aniversário, a criar o Prêmio Sveriges Riksbank em Ciências Econômicas que foi estabelecido em 1968. Esse prêmio é concedido todos os anos a uma pessoa ou pessoas no campo das ciências econômicas que produziram trabalhos de destacada importância. Assim, a Royal Swedish Academy of Sciences nomeia o vencedor ou vencedores do prêmio de acordo com os mesmos princípios que os do Prêmio Nobel, sendo assim conhecido popularmente como Prêmio Nobel de Economia.

A primeira premiação do Nobel de Economia ocorreu em 1969 e, de lá até o ano passado (2016), foram concedidos 48 prêmios em Ciências Econômicas, sendo que 24 prêmios foram concedidos a apenas um laureado/ano; a primeira mulher e até 2016 única, a receber o prêmio Nobel de Economia foi Elinor Ostrom em 2009; registre-se também que por enquanto, o mais jovem Laureado com o Prêmio Nobel de Economia foi Kenneth J. Arrow que ganhou o prêmio em 1972 com apenas 51 anos, já o de maior idade a ganhar o Prêmio Nobel de Economia foi o russo Leonid Hurwicz em 2007 aos 90 anos. A idade média dos Laureados com o Prêmio Nobel de Economia é de 67 anos.

A peneira para selecionar os laureados é muito rígida, sendo que anualmente a Academia Sueca recebe aproximadamente 300 indicações, cobrindo cerca de 100 candidatos, entre estes o comitê de seleção do prêmio (com cinco a oito membros) analisa estudos especializados dos candidatos mais proeminentes, depois o comitê do prêmio apresenta sua proposta de prêmio à Classe de Ciências Sociais da Academia Sueca sob a forma de um relatório, com uma ampla pesquisa dos principais candidatos que são considerados para um prêmio. Este relatório apresenta os estudos realizados por peritos e com base nesse material, a classe sugere um laureado (ou um Prêmio compartilhado entre dois ou, no máximo, três laureados) regularmente seguindo a proposta da comissão. Finalmente, toda a Academia se encontra para tomar a decisão final de prêmio, geralmente em outubro.

Os campos da pesquisa são variados, citando alguns exemplos: econometria (campo do primeiro prêmio), concedido a Ragnar Frisch (Oslo University) e Jan Tinbergen (The Netherland School Of Economics), equilibrio geral, crescimento econômico, história econômica, alocação ótima de recursos, economia internacional, desenvolvimento econômico, organização industrial, finanças públicas, macroeconomia, microeconomia, teoria dos jogos, economia da informação, etc.

Escrevi esta breve abordagem na véspera da divulgação do laureado de 2017,  neste dia 08; possivelmente muitos irão ler após a divulgação do prêmio, de qualquer forma, fica a contribuição da ligação entre o Banco Central mais antigo do mundo e o Prêmio Nobel de Economia.

Mais do Colunista Saumíneo Nascimento:
Colunista Saumíneo Nascimento
Saumíneo Nascimento
Saumíneo Nascimento é Economista, Mestre e Doutor em Geografia, tem Pós-Doutorado em Ciência da Propriedade Intelectual pela UFS, membro do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, da Associação Brasileira de Relações Internacionais e da Academia Nacional de Economia.

 

O conteúdo desta publicação é de responsabilidade do colunista.

Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
Notícias em Sergipe
F5 News - © 2016.
criação de site