Sergipe cria 649 vagas de emprego formal em abril
Após começar ano em queda, mercado sergipano volta a contratar
Economia| Por F5 News 24/05/2019 18:04 - Atualizado em 24/05/2019 19:32

O mercado de trabalho sergipano voltou a ter fôlego no mês de abril. Após o primeiro trimestre do ano ter registrado uma retração, o número de empregos cresceu 0,23% em abril, em comparação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior. No país, o período também atingiu o maior nível de criação de emprego formal para o mês desde 2013. 

No quarto mês do ano, o mercado de trabalho sergipano registrou 6.461 admissões e 5.812 demissões. Um saldo positivo de 649 empregos formais no estado, conforme o levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). 

Com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho, o número é maior em relação ao mesmo período no ano passado, que obteve 266 vagas. 

Uma das atividades econômicas que mais contribuíram para a geração de emprego foi Serviços, com 2.968 admissões e 2.415 demissões. Em abril, a área aumentou 553 postos de trabalho no estado; no mês anterior o mesmo setor perdeu 105 vagas.

Ao contrário do mês de março, em que a construção civil foi a principal responsável pela queda na geração de emprego em Sergipe, com perda de 368 vagas, de acordo com o Caged, em abril esta área voltou a contribuir para o aumento com o incremento de 151 postos. Foram 895 admissões e 744 demissões.

Outras áreas, como o Comércio,  tiveram aumento tímido de 40 vagas criadas. Entres os setores que apresentaram desempenho insatisfatório no mês estão  a agropecuária e a indústria de transformação, com perda de 26 e 86 postos respectivamente. A criação de empregos totaliza 85.439, e 85.234 demissões, saldo positivo de 205 vagas em doze meses.

Março

Em março deste ano, Sergipe registrou 7.167 demissões e 6.017 admissões. Com o saldo negativo de 1.150 postos de emprego formal perdidos, o nível de emprego no estado sofreu uma retração de meio ponto percentual em relação ao mês anterior. Naquele mês, a pesquisa detectou que a Construção Civil foi o setor com maior perda de empregos.

No país

A nível nacional, abril também foi considerado melhor em comparação ao mesmo período em seis anos, beneficiado pelos Serviços e pela Indústria. Segundo os dados, 129.601 postos formais de trabalho foram criados no último mês. Desde abril de 2013, o número de admissões ainda não havia sido superado ao de dispensas. A criação de empregos totaliza 313.835 de janeiro a abril e 477.896 nos últimos 12 meses.

*Com informações da Agência Brasil

 

 

 

Mais Notícias de Economia
17/06/2019 19:42 Bolsonaro veta isenção de cobrança de bagagem em voos domésticos
Governo diz que decisão se deu por razões de interesse público
17/06/2019 17:49 Plano Safra manterá R$ 10 bi de subsídios para crédito rural
Informação foi adiantada pela ministra Tereza Cristina
17/06/2019 12:09 Sergipe terá o 2º maior parque de produção de energia solar do mundo
Usina da Enesf deverá se instalar no município de Canindé de São Francisco
17/06/2019 09:16 Governo inicia entrega de cartões do Programa Mão Amiga em 21 cidades
Este ano, serão beneficiados 3.844 cortadores de cana no Estado
17/06/2019 08:15 Receita paga as restituições do 1º lote do Imposto de Renda