Greve dos caminhoneiros prejudica comércio varejista em maio, diz IBGE
O volume de vendas teve uma queda de 0,6% de abril para maio
Economia| Por Agência Brasil 12/07/2018 14:15 - Atualizado em 12/07/2018 14:34

A greve dos caminhoneiros no final de maio teve um impacto negativo no desempenho do comércio varejista nacional. O volume de vendas teve uma queda de 0,6% de abril para maio. Setores como o de combustíveis e lubrificantes, com queda de 6,1%, sentiram bastante a paralisação.

“A queda de circulação do transporte de carga nas rodovias por conta da greve dos caminhoneiros trouxe impacto para as vendas no mês de maio, com impactos negativos para o varejo e o varejo ampliado. Esse evento da redução do abastecimento que aconteceu em maio atingiu todas as atividades. O segmento dos combustíveis, naturalmente uma atividade que tem relação com a própria questão da greve, mostrou uma queda forte”, explicou a pesquisadora do IBGE Isabella Nunes.

Outro setor que sentiu a greve foi o de móveis e eletrodomésticos, que teve uma queda de 2,7% no período. “Isso mostra o impacto da perda de estoque para as vendas, mas também uma perda em atraso das entregas e variação do frete, que acabam impactando nesse segmento”, disse Isabella.

O único setor com desempenho positivo de abril para maio foi o de supermercados e alimentos, com alta de 0,6%, o que evitou uma queda ainda maior do comércio varejista brasileiro como um todo.

Mais Notícias de Economia
22/01/2019 17:20 Arábia Saudita habilita 25 exportadores brasileiros de carne de frango
Autorização é resultado de uma missão de especialistas sauditas
22/01/2019 07:58 Venda casada é prática proibida por Lei, alerta Procon
21/01/2019 09:19 Pais se organizam para gastar menos com material escolar
Produtos estão 8% mais caros que em janeiro do ano passado, segundo a Abfiae
21/01/2019 09:17 Motoristas podem ter desconto de até 30% no valor do IPVA
Em alguns estados, há possibilidade de usar créditos de programas de incentivo
21/01/2019 09:14 Mercado prevê inflação de 4,01% e alta de 2,53% no PIB para este ano
De acordo com o mercado financeiro, a Selic deve encerrar 2019 em 7% ao ano