Greve dos caminhoneiros prejudica comércio varejista em maio, diz IBGE
O volume de vendas teve uma queda de 0,6% de abril para maio
Economia| Por Agência Brasil 12/07/2018 14:15 - Atualizado em 12/07/2018 14:34

A greve dos caminhoneiros no final de maio teve um impacto negativo no desempenho do comércio varejista nacional. O volume de vendas teve uma queda de 0,6% de abril para maio. Setores como o de combustíveis e lubrificantes, com queda de 6,1%, sentiram bastante a paralisação.

“A queda de circulação do transporte de carga nas rodovias por conta da greve dos caminhoneiros trouxe impacto para as vendas no mês de maio, com impactos negativos para o varejo e o varejo ampliado. Esse evento da redução do abastecimento que aconteceu em maio atingiu todas as atividades. O segmento dos combustíveis, naturalmente uma atividade que tem relação com a própria questão da greve, mostrou uma queda forte”, explicou a pesquisadora do IBGE Isabella Nunes.

Outro setor que sentiu a greve foi o de móveis e eletrodomésticos, que teve uma queda de 2,7% no período. “Isso mostra o impacto da perda de estoque para as vendas, mas também uma perda em atraso das entregas e variação do frete, que acabam impactando nesse segmento”, disse Isabella.

O único setor com desempenho positivo de abril para maio foi o de supermercados e alimentos, com alta de 0,6%, o que evitou uma queda ainda maior do comércio varejista brasileiro como um todo.

Mais Notícias de Economia
18/08/2018 10:46 Mega-Sena pode pagar R$ 23 milhões neste sábado
As apostas também podem ser feitas pelo computador, tablet ou smartphone através da plataforma de Loterias Online da Caixa
17/08/2018 20:17 Seguradora lança programa de emprego para beneficiários do DPVAT
17/08/2018 09:21 Receita Federal lança aplicativo para consulta de processos
17/08/2018 09:10 Mais de 2 mil sergipanos estão com o benefício do INSS suspenso
Segurados não agendaram perícia e têm dois meses para regularizar a situação
16/08/2018 17:50 Sergipe registrou queda da produção de Petróleo e de Gás Natural em junho
Comparado com junho do ano passado, notou-se retração de 12,3% na produção