Feira de Imóveis promete aquecer mercado imobiliário em Sergipe
Setor acredita que este é o melhor momento para a compra da casa própria
Economia| Por Fernanda Araujo 08/11/2018 13:35 - Atualizado em 08/11/2018 14:12

Construtoras e imobiliárias de Sergipe se reúnem para facilitar as condições de pagamento de imóveis na planta, em construção ou em lançamento, na Feira de Imóveis promovida pela Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/SE). Ao todo, 22 expositores oferecem até o domingo (11) parcelamentos, descontos e financiamento aos futuros compradores que desejam adquirir a casa própria e sair do aluguel.

Sete construtoras, 13 imobiliárias e dois bancos, a Caixa e o Banese estão com stands montados no estacionamento do supermercado Extra, próximo ao terminal rodoviário do Distrito Industrial de Aracaju (DIA). Há imóveis sendo oferecidos com descontos de até 20 e 50 mil reais e empreendimentos com valor mínimo a partir de R$ 110 mil, preço considerado abaixo do que se costumava praticar.

Para o presidente da Ademi, Henrique Côrtes (foto), esse é o melhor momento para fazer a compra do imóvel, antes que os valores aumentem no próximo ano. “São milhares de unidades à venda, temos imóveis nas três etapas. Cada expositor tem suas tabelas e descontos especiais, importante que a pessoa circule, visite a todos e negocie com cada um pessoalmente. Os bancos estão aqui para fazer a simulação de financiamento e dar todas as orientações quanto ao financiamento do imóvel”, afirma.

Ao contrário de anos anteriores e do primeiro semestre deste ano, várias construtoras já apresentam imóveis em lançamento ao cliente com o objetivo de reaquecer o mercado no estado sergipano, seja em empreendimentos de médio e alto padrão e, inclusive, produtos financiados através da Caixa Econômica, do programa Minha Casa Minha Vida.

“Estamos apresentando lançamento da marca Stanza, que é o Parque da Avenida, que fica localizado a dois minutos do Shopping Prêmio, em Socorro, com apartamentos a partir de R$ 110 mil e parcelas mensais a partir de R$ 35. São 448 unidades, 14 torres e oito apartamentos por andar, com o ITBI e cartório grátis. Fora isso, temos também produto de médio a alto padrão no bairro Luzia”, conta Lívia Filgueiras, gestora comercial da construtora Celi.

Segundo os expositores, as condições de pagamento dependem do empreendimento e da faixa de renda do cliente. “A ideia é trazer condições diferenciadas ao mercado, com entradas e parcelas facilitadas, subsídio do governo de até R$ 31.665. Uma oportunidade de concentração de produtos, de negócios. Importante: quem tem renda familiar de R$ 1.200, por exemplo, venha conhecer os empreendimentos, trazer sua documentação se possível, que a gente já faz a avaliação. A partir de R$ 100 o cliente já pode sair com seu imóvel”, diz Rodrigo Calfa, diretor da Century Imobiliária, que apresenta mais de duas mil unidades em lançamento na Feira.

A recente ampliação do limite de financiamento com o FGTS para R$ 1,5 milhão, segundo a Ademi, não influencia nas vendas de imóveis apresentados na Feira,  porque o público alvo são pessoas de até a classe média. “Não é que não possa ter empreendimento nessa natureza aqui, mas não é o foco, até porque nosso estado tem pouca opção desse tipo de valor de imóvel. Esse mercado está visando mais o Centro-Sul do país”, considera Côrtes.

A Feira acontece de quinta a sábado, das 10h às 22h, e, no domingo, das 10h às 20h.

Leia também

FGTS: novo teto de financiamento anima mercado imobiliário em SE

 

Mais Notícias de Economia
22/01/2019 17:20 Arábia Saudita habilita 25 exportadores brasileiros de carne de frango
Autorização é resultado de uma missão de especialistas sauditas
22/01/2019 07:58 Venda casada é prática proibida por Lei, alerta Procon
21/01/2019 09:19 Pais se organizam para gastar menos com material escolar
Produtos estão 8% mais caros que em janeiro do ano passado, segundo a Abfiae
21/01/2019 09:17 Motoristas podem ter desconto de até 30% no valor do IPVA
Em alguns estados, há possibilidade de usar créditos de programas de incentivo
21/01/2019 09:14 Mercado prevê inflação de 4,01% e alta de 2,53% no PIB para este ano
De acordo com o mercado financeiro, a Selic deve encerrar 2019 em 7% ao ano