Confiança do comércio cai 5,4 pontos de abril para maio, diz FGV 
Indicador retornou ao mesmo nível de setembro de 2018
Economia| Por Agência Brasil 24/05/2019 10:30 - Atualizado em 24/05/2019 10:36

O Índice de Confiança do Comércio, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 5,4 pontos de abril para maio e passou para 91,4 pontos, em uma escala de zero a 200. Com o resultado, o indicador retornou ao mesmo nível de setembro de 2018.

Em maio, a queda da confiança atingiu empresários de onze dos treze segmentos analisados. O Índice de Expectativas, que mede a confiança nos próximos meses, caiu 6,6 pontos e voltou a registrar valor abaixo de 100 pontos (94,8 pontos).

O Índice de Situação, que mede a confiança no presente, diminuiu quatro pontos para 88,3 pontos, menor valor desde janeiro do ano passado.

Segundo o pesquisador Rodolpho Tobler, da FGV, o resultado sugere que os empresários do setor ainda estão encontrando dificuldades com o ritmo de vendas no segundo trimestre. Para ele, os indicadores de situação atual refletem o desempenho fraco do comércio no início do ano.

Além disso, por causa desses resultados negativos, os empresários estão revendo suas expectativas. Tobler acredita que a volta da recuperação da confiança “ainda depende da redução dos níveis de incerteza, dos números mais positivos do mercado de trabalho e da retomada da confiança do consumidor”.

 

Mais Notícias de Economia
17/06/2019 19:42 Bolsonaro veta isenção de cobrança de bagagem em voos domésticos
Governo diz que decisão se deu por razões de interesse público
17/06/2019 17:49 Plano Safra manterá R$ 10 bi de subsídios para crédito rural
Informação foi adiantada pela ministra Tereza Cristina
17/06/2019 12:09 Sergipe terá o 2º maior parque de produção de energia solar do mundo
Usina da Enesf deverá se instalar no município de Canindé de São Francisco
17/06/2019 09:16 Governo inicia entrega de cartões do Programa Mão Amiga em 21 cidades
Este ano, serão beneficiados 3.844 cortadores de cana no Estado
17/06/2019 08:15 Receita paga as restituições do 1º lote do Imposto de Renda