Sergipe implantará tecnologia compartilhada pelo governo de São Paulo
Cotidiano 11/07/2018 19:15 - Atualizado em 11/07/2018 18:54

O governador Belivaldo Chagas estará em São Paulo nesta quinta-feira (12) para firmar convênio com o governo de São Paulo para utilização do sistema integrador de informações, que vai deixar ainda mais ágil o trabalho da polícia sergipana.

O sistema, denominado Detecta, tem como principal objetivo é auxiliar o trabalho policial (Militar, Civil e Científica) em atividades operacionais e investigativas.

Com ele, será possível promover ações policiais coordenadas, correlacionando informações e imagens de locais, pessoas e veículos, bem como ter acesso a diversos bancos de dados de diferentes instituições. O secretário-adjunto da Segurança Pública de São Paulo, Sérgio Turra Sobrane, participa da assinatura do convênio.

Com vigência até 1° de dezembro de 2018, podendo ser prorrogado até 60 meses, a tecnologia do Detecta será utilizada no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) e terá como suporte 84 câmeras de monitoramento em toda a capital. A tendência é que a rede de câmeras da Prefeitura Municipal de Aracaju também seja utilizada, através de um termo de cooperação.

As informações possibilitadas pelo Detecta, a exemplo da identificação facial de pessoas com mandados de prisão, verificação de placas de veículos com restrição de roubos e furtos e informações específicas de banco de dados de instituições serão compartilhadas com as equipes da Polícia Militar e com investigadores da Polícia Civil.

Implantado pelo governo de São Paulo em 2014, o Detecta - o maior big data da América Latina - é um sistema de prevenção e investigação criminal que promove a integração de bancos de dados e câmeras de diferentes instituições para monitorar áreas específicas, veículos e suspeitos para auxiliar as polícias no combate ao crime em todo o território paulista.

No sistema, estão conectados dados do Registro Digital de Ocorrência (RDO), Instituto de Identificação (IIRGD), Sistema Operacional da Polícia Militar, Sistema de Fotos Criminais (Fotocrim), além de dados de veículos e de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Atualmente, há 5.600 leitores de placas em pelo menos 2.390 pontos de todo o estado de São Paulo. Desse total, há 2.764 leitores de placas em ao menos 1.046 locais da Capital, onde a Secretaria da Segurança firmou parceria com a prefeitura para compartilhamento de dados de equipamentos da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Desde seu início até junho de 2018, foram 6.339 veículos interceptados, resultando em 10.330 pessoas presas em flagrante/encontradas e 534 armas/simulacros apreendidas.

Outras parcerias

Atualmente, há parceria com 56 municípios que integram o sistema Detecta no estado de São Paulo. Também há mais três convênios com o Sindicato Empresas Compra Venda Locação Administração Imóveis SP (Secovi), Associação Alto de Pinheiros e Associação Comercial de Jundiaí.

Além desses, no começo deste ano, o governo de Rondônia demonstrou interesse na integração e compartilhamento de informações do sistema Detecta. O sistema também foi apresentado para os estados de Amazonas, Paraíba e Rio de Janeiro.

Mais Notícias de Cotidiano
20/08/2018 18:35 Secretaria da Saúde apresenta balanço de imunização em Sergipe após Dia D
Maioria dos municípios, incluindo Aracaju, ainda não atingiu a meta da cobertura vacinal
20/08/2018 17:20 Cinco homens morrem durante confronto em operação da BPRp em Aracaju (SE)
A ação foi realizada em três bairros da capital: Cidade Nova, Santa Maria e Jardim Centenário
20/08/2018 16:50 Sete pet shops são autuados durante fiscalização do Procon de Aracaju
Três estabelecimentos foram autuados por venderem produtos fora da validade
20/08/2018 15:55 Começam hoje inscrições para bolsas remanescentes do ProUni
Ao todo serão ofertadas 106.252 bolsas que não foram preenchidas no processo de seleção regular
20/08/2018 15:15 TCE vê indícios de irregularidades em programa de desligamento voluntário da Deso
Além de irregularidades no relatório, foi observada a inexistência de parecer jurídico atestando a viabilidade ou não da medida