Saúde
Médicos da rede pública de Aracaju decidem continuar em greve
Trabalhadores cobram reajuste salarial que não é concedido desde 2016
Cotidiano| Por Will Rodriguez 09/08/2018 12:15 - Atualizado em 09/08/2018 12:32

Os médicos da rede municipal de Aracaju decidiram, em assembleia nesta quinta-feira (9), continuar em greve por tempo indeterminado. A categoria está de braços cruzados desde o dia 20 de julho e cobra da Prefeitura da capital a recomposição salarial, que não acontece há dois anos.

De acordo com o Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (Sindimed), os profissionais decidiram aguardar manifestação do Poder Judiciário, que intimou a administração municipal a se manifestar quanto ao pedido de uma audiência extraordinária de conciliação. A Prefeitura diz que ainda não foi notificada.

Por conta da paralisação, apenas 30% do efetivo mantém o atendimento médico nas 42 unidades básicas de saúde. Já os dois Hospitais municipais continuam com o total do quadro de profissionais atuando. Ainda assim, mais de 50 mil atendimentos já deixaram de ser realizados, pelos cálculos do Sindicato.

O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) já sinalizou que não deve conceder reajuste salarial para nenhuma categoria neste ano. A PMA não comenta o impacto da greve no atendimento. Os trabalhadores voltam a deliberar os encaminhamentos da paralisação na quinta-feira (16).

Mais Notícias de Cotidiano
24/03/2019 09:31 Suspeito de estupro morre em confronto com a polícia em Glória
Homem tinha passagem por homicídio e já teria tentado estuprar a vítima
23/03/2019 23:02 Corrida Cidade de Aracaju bate recorde com 4 mil corredores
Participantes fizeram os tradicionais trajetos de 5, 10 e 24 km
23/03/2019 18:30 Renato Russo recebe homenagem em selo dos Correios
Lançamento será no dia 27, quando cantor faria 59 anos
23/03/2019 14:12 Bordadeiras de Tobias Barreto expõem em stand da Seagri
Projeto começou a ser elaborado entre associação e equipe de Dom Távora
23/03/2019 12:06 PC prende acusado de homicídio e segundo envolvido continua foragido
Eles teriam assassinado adolescente de 16 anos com requintes de crueldade