Especialistas alertam para cuidados com procedimentos estéticos
No site da SBCP, consta o nome de todos os cirurgiões plásticos cadastrados no Brasil
Cotidiano| Por Agência Brasil 09/08/2018 17:15 - Atualizado em 09/08/2018 16:59

Com as mortes de mulheres após se submeterem a procedimentos estéticos no Rio, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC) e entidades médicas alertam para os cuidados que devem ser tomados na hora de decidir fazer um tratamento estético ou uma cirurgia plástica e evitar pessoas que atuam de forma irregular e clandestina.

A Agência Brasil ouviu especialistas sobre quais recomendações devem ser tomadas.

Silicone

O único silicone autorizado para aplicação no corpo é o de grau médico - que é envolto em cápsulas de revestimento, os chamados implantes de silicone. O silicone industrial é proibido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por causar danos à saúde. O produto se espalha facilmente pelo organismo. 

“A gente não sabe para onde vai [silicone industrial]. Pode colocar no glúteo e parar no pé. Vai descendo pela perna”, explica o presidente da SBPC regional Rio de Janeiro, André Maranhão.

Já o polimetilmetacrilato (PMMA), componente plástico (em formato de gel), pode ser usado para o preenchimento cutâneo de pequenas áreas do corpo. De acordo com a Anvisa, só pode ser aplicado por médico treinado. E cabe ao médico definir a quantidade para cada paciente.

Apesar de oferecer possibilidade menor de migrar pelo corpo, apresenta também risco à saúde, segundo Maranhão.

Para tratamento na região glútea, o cirurgião plástico destaca o implante de silicone ou a lipoescultura como procedimentos mais adequados.

Formação

A recomendação é procurar um profissional qualificado em tratamentos estéticos, como cirurgião plástico. Para atuar nessa área, é exigido formação de seis anos na faculdade, dois anos em cirurgia geral e três anos em cirurgia plástica.

“São 11 anos de estudo para permitir ao médico realizar um procedimento com segurança e, caso aconteça alguma intercorrência, ele seja capaz de diagnosticar e de tratar em tempo hábil”, diz o diretor-geral da SBCP Nacional, Leandro Pereira.

No site da SBCP, consta o nome de todos os cirurgiões plásticos cadastrados no Brasil, com formação reconhecida.

O presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj), Nelson Nahon, recomenda, que antes de fazer qualquer procedimento médico, o paciente verifique: se o profissional é médico registrado, qual a especialidade, titulação e local onde opera. Essas informações estão disponíveis na página do Cremerj na internet.

Caso o profissional não seja médico, deve ser denunciado à polícia.

Relação médico e paciente

O diretor Leandro Pereira ressaltou que o paciente deve ter uma boa relação com o médico para que todas as dúvidas sobre o resultado do procedimento ou possíveis complicações sejam esclarecidas.

“A boa relação médico e paciente é fundamental. A busca de profissionais somente por redes sociais pode se tornar perigosa, já que o número de seguidores não quer dizer a capacidade técnica e profissional do médico”, disse.

 

Mais Notícias de Cotidiano
17/02/2019 09:19 MEC quer saber quantas adolescentes em idade escolar engravidaram
O questionário deverá ser preenchido por gestores escolares ou por pessoas designadas pelas escolas
17/02/2019 09:10 Agência Nacional de Mineração recomenda extinção de barragens a montante até 2021
Há 84 barragens desta modalidade em funcionamento no país, das quais 43 de "alto dano potencial"
16/02/2019 14:26 Sem carne: desabastecimento atinge cerca de 20 municípios sergipanos
Consumidores encontraram bancas vazias em mercados e feiras neste sábado
16/02/2019 13:17 Confirmado: Aeroporto Santa Maria vai a leilão em 15 de março
Governo Federal vai leiloar 12 aeroportos na quinta rodada de licitações
16/02/2019 13:11 Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 26 milhões
O sorteio será realizado a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, em SP