Defesa Civil e Corpo de Bombeiros marcam interdição do Palace
Reunião discutiu estratégia para plano de desocupação
Cotidiano| Por F5 News 16/05/2018 16:30 - Atualizado em 17/05/2018 12:08

O prédio onde funcionava o antigo Hotel Palace, no centro de Aracaju  (SE), será interditado no dia 27 deste mês. A data foi definida durante reunião realizada na manhã desta quarta-feira (16), no quartel do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBM/SE). Comerciários e vendedores ambulantes serão notificados a partir de amanhã (17).

Durante a reunião o Corpo de Bombeiros e Defesa civil discutiram, com os demais órgãos envolvidos na operação, as estratégias para dar cumprimento à determinação judicial de interditar o edifício.

A interdição foi determinada pelo juiz Marcos de Oliveira Pinto, da 12ª Vara Cível de Aracaju, que atendeu ao pedido do Ministério Público Estadual (MPE).

A decisão judicial estabelece desocupação do prédio, desativação do comércio e isolamento da área, bem como a informação à população dos riscos de circulação no local. O órgão alegou que o prédio abandonado coloca em risco a segurança coletiva de quem trabalha no pavimento inferior e das pessoas que circulam pelo local.

Além do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil, participaram das discussões o Ministério Público Estadual, Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra), Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur), a Secretaria do Patrimônio da União (SPU), representantes do condomínio e demais órgão envolvidos na operação.

Cada um ficará responsável por cumprir uma parte da operação. A Emurb ficou encarregada de fazer o isolamento físico do prédio, com tapumes ou alvenaria. A Emsurb deve retirar os vendedores ambulantes. Já a Guarda Municipal cuidará da segurança do edifício, para impedir o acesso de pessoas depois da interdição. A SMTT fará o isolamento do trânsito e terá o apoio da Policia Militar, que cuidará da segurança.

De acordo com o diretor da Defesa Civil, tenente-coronel Alexandre Silva, os lojistas têm até o dia 26 para retirar todos os materiais. “Se houver algum impedimento e alguém não consiga retirar tudo até essa data, essa pessoa terá que fazer um cadastro junto à Emsurb para ter acesso ao prédio depois da interdição”, explica.

A ideia de fazer a interdição em um domingo foi do coordenador de Trânsito da SMTT, capitão Alexandre Cardoso. O objetivo é minimizar os transtornos, já que o prédio fica em uma região central com grande movimentação de pessoas e veículos em dias da semana. “O hotel fica no coração da cidade. Qualquer interdição de via e o centro se torna um caos. Temos passagem de inúmeras vias de ônibus, além de pontos de táxi. Então, considero o domingo um dia mais apropriado para causar menor transtorno”, disse.

Nova perícia

O representante dos condôminos, Sergio Santana, disse que o grupo contratou um perito para averiguar as possibilidades de reparos emergenciais e, com isso, tentar barrar o processo de interdição. “Vamos entrar com recurso e mostrar o interesse dos condôminos em assumir algumas ações emergenciais, como uma tentativa de reverter a situação”, afirmou.

Uma nova reunião de trabalho acontecerá na próxima terça-feira, dia 22, dessa vez no quartel da Polícia Militar. “O objetivo é dar cumprimento à decisão judicial no prazo estipulado e de forma tranquila, pacífica e segura para todos os envolvidos”.

Foto: Assessoria de Comunicação 

Mais Notícias de Cotidiano
20/05/2018 10:20 Ex-policial condenado por morte de promotor é executado em Propriá
O promotor Valdir de Freitas foi assassinado há 20 anos
20/05/2018 10:19 Mega-Sena acumula, e próximo prêmio pode chegar a R$ 6,5 milhões
A aposta mínima da Mega-Sena, de seis números, custa R$ 3,50
20/05/2018 10:19 Estudantes têm até quarta-feira para pagar taxa de inscrição no Enem
Mais de seis milhões se inscreveram
20/05/2018 09:15 Turismo: Os caminhos de Dom Pedro II pelo norte de Sergipe
​Conheça um dos destinos ainda pouco explorados no rio São Francisco
19/05/2018 18:00 Identificados os nomes dos oito mortos na operação Rubicão
Três suspeitos foram presos pelo assassinato do capitão Oliveira