Esporte
Confira a convocação da seleção brasileira para a Copa da Rússia
O Brasil estreia na competição mundial contra a Suíça no dia 17 de junho
Brasil e Mundo 14/05/2018 14:12 - Atualizado em 14/05/2018 18:55

A exatamente um mês do início da Copa de Mundo da Rússia, os nomes dos 23 jogadores que defenderão a seleção brasileira no mundial foram definidos hoje (14). O técnico Tite anunciou, no Rio de Janeiro, a lista dos convocados.

O Brasil estreia contra a Suíça no dia 17 de junho, um domingo, às 15h, em Rostov do Don. O segundo jogo da primeira fase é numa sexta-feira, dia 22 de junho, às 9h, em São Petersburgo, contra a Costa Rica. O terceiro jogo será no dia 27, uma quarta-feira, às 15h, em Moscou, no Estádio Spartak, contra a Sérvia.

A lista da seleção brasileira é a seguinte:

Goleiros: Alisson (Roma), Ederson (Manchester City) e Cássio (Corinthians)

Laterais: Danilo (Manchester City), Fagner (Corinthians), Marcelo (Real Madrid) e Filipe Luís (Atlético de Madrid)

Zagueiros:Miranda (Inter de Milão), Marquinhos (PSG), Thiago Silva (PSG) e Pedro Geromel (Grêmio)

Volantes: Casemiro (Real Madrid), Fernandinho (Manchester City), Paulinho (Barcelona) e Fred (Shakhtar Donetsk)

Meias: Renato Augusto (Beijing Guoan), Philippe Coutinho (Barcelona) e Willian (Chelsea)  

Atacantes: Neymar (PSG), Gabriel Jesus (Manchester City), Douglas Costa (Juventus), Roberto Firmino (Liverpool) e Taison (Shakhtar Donetsk)

 

Fonte: Agência Brasil

Mais Notícias de Brasil e Mundo
13/08/2018 07:01 Morre Cláudio Weber Abramo, fundador da Transparência Brasil
12/08/2018 16:40 Empresas monitoram internautas pelos navegadores
Especialistas apontam maneiras de se proteger
12/08/2018 14:38 Saúde mental não deve ser tabu, avaliam pesquisadores
Sociedade compreende pouco dando margem a visões preconceituosas
11/08/2018 10:17 Caso Marielle faz 150 dias e demora na solução preocupa especialistas
No entanto, concordam que é preciso reunir provas fortes para prisões
11/08/2018 08:53 Governo vai propor adiamento de reajuste de servidores
Palavra final é do Congresso Nacional