Bombardeios matam sete pessoas na província síria de Idlib
Brasil e Mundo 13/01/2018 13:05 - Atualizado em 13/01/2018 13:10

Pelo menos sete pessoas, incluindo mulheres e crianças, morreram em decorrência dos bombardeios efetuados na noite de sexta-feira (12) por aviões de guerra não identificados no sul da província de Idlib, no Noroeste da Síria. A informação foi divulgada neste sábado (13) pela organização Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Os ataques aéreos tiveram como alvo a cidade de Khan al Sabl, no sul de Idlib, que já foi bombardeado por aviões no dia 2 deste mês. Na ocasião, sete pessoas morreram, entre elas cinco crianças, afirmou a fonte.

Além dos sete civis mortos de ontem à noite, 10 pessoas ficaram gravemente feridas, razão pela qual a organização não governamental (ONG) teme que o número de mortes aumente.

A província de Idlib está controlada quase totalmente pelo Organismo de Libertação do Levante (aliança criada em torno do antigo braço da Al Qaeda) e outros grupos armados que lutam contra as forças leais ao presidente sírio, Bashar al Assad.

Há semanas, as tropas governamentais desenvolvem uma ofensiva no leste de Idlib em uma tentativa de adentrar e avançar pela região.

Fonte: Agência Brasil/Da Agência EFE*

Mais Notícias de Brasil e Mundo
15/08/2018 14:00 Censo 2020 terá informações específicas sobre comunidades quilombolas
O primeiro teste piloto será realizado entre os dias 20 de agosto e 6 de setembro
15/08/2018 08:02 Seis em cada dez crianças no Brasil vivem na pobreza
Unicef apresenta panorama de menores que estão privados de um ou mais direitos
14/08/2018 13:30 Liverpool denuncia seu jogador mais importante da última temporada
Jogador egípcio pertence ao clube inglês e concorre ao prêmio de melhor do ano
14/08/2018 11:55 Estudo: Zika chegou ao Brasil proveniente da América Central
O trajeto coincide com o caminho percorrido por outras arboviroses, como dengue e chikungunya
14/08/2018 08:38 Ligue 180 registra mais de 740 casos de feminicídio este ano
A Central recebeu quase 80 mil relatos de violência de gênero