Morte de Maria Esther Bueno repercute no país
A maior expressão do tênis brasileiro morreu nesta sexta-feira
Brasil e Mundo 09/06/2018 10:38

A morte de Maria Esther Bueno, aos 78 anos, repercute no país. O presidente Michel Temer usou seu perfil no Twitter para lamentar a morte da tenista. A Confederação Brasileira de Tênis também divulgou homenagem usando uma imagem da atleta jogando na maturidade e a frase: “Dia de luto para o tênis brasileiro. Descanse em paz, Bailarina”.

"Com pesar recebemos a notícia da morte da tenista Maria Esther Bueno. Ídolo do esporte brasileiro, ficou conhecida como bailarina pela leveza e elegância nas quadras. Será sempre lembrada como a nº 1 do tênis no coração de todos os brasileiros", escreveu o presidente brasileiro.

Maria Esther Bueno era chamada de “bailarina” pela forma suave do seu jogo e a elegância permanente. A CBT colocou um agradecimento à tenista nas redes sociais: “Maria Esther Bueno, obrigado pela dedicação e paixão ao esporte que nós tanto amamos”.

A ex-campeã de tênis Claudia Chabalgoity, fundadora do projeto Tô no Jogo, esteve em São Paulo com Maria Esther Bueno pouco antes de ela ser internada. Segundo ela, Maria Esther matinha o entusiasmo com o tênis e era reverenciada por todos no esporte.

“O Brasil perde uma apaixonada tenista e uma apaixonante pessoa”, afirmou Chabalgoity à Agência Brasil. “Estou honrada de ter conseguido estar com ela dentro de quadra em fevereiro quando ela, de surpresa, nos presenteou com sua beleza e simpatia, além, claro, de seu clássico e charmoso tênis.”

Mais Notícias de Brasil e Mundo
14/08/2018 08:38 Ligue 180 registra mais de 740 casos de feminicídio este ano
A Central recebeu quase 80 mil relatos de violência de gênero
13/08/2018 07:01 Morre Cláudio Weber Abramo, fundador da Transparência Brasil
12/08/2018 16:40 Empresas monitoram internautas pelos navegadores
Especialistas apontam maneiras de se proteger
12/08/2018 14:38 Saúde mental não deve ser tabu, avaliam pesquisadores
Sociedade compreende pouco dando margem a visões preconceituosas
11/08/2018 10:17 Caso Marielle faz 150 dias e demora na solução preocupa especialistas
No entanto, concordam que é preciso reunir provas fortes para prisões