Grupo Multserv segue crescente no mercado, com nova aquisição
Blogs e Colunas | Marcio Rocha 25/03/2019 07:13

O Grupo Multserv, com 35 anos de atividade no mercado brasileiro, expandiu ainda mais suas atividades, com a aquisição do grupo Rural, uma empresa com mais de 20 anos de participação no mercado, embarcando agora no segmento de agronegócio. A evolução da empresa que iniciou suas atividades com serviços de limpeza e conservação e se tornou a maior empresa de terceirização de serviços de Sergipe, tem sido constante. A empresa continuou crescendo, levando sua expertise para todos os estados do nordeste, e hoje atua em dez estados do país, com vistas em expansão das ações para todo o Brasil. Além dos serviços de terceirização, a Multserv atua nas áreas da indústria, comércio, facilities, transporte de resíduos, segurança pessoal e patrimonial, higienização, controle de pragas urbanas, logística, comunicação jornalística e publicitária, produção audiovisual e amplia seu leque de atuação, assumindo a empreitada no agronegócio.

Cadastro Positivo pode injetar R$ 1,3 trilhão na economia

A aprovação do Projeto de Lei Complementar 54/19, que prevê a inclusão automática dos consumidores no Cadastro Positivo, pelo Senado, deve gerar uma injeção da ordem de R$ 1,3 trilhão na economia do país, segundo cálculos da Serasa Experian, feitos a partir de simulações baseadas em modelos estatísticos de score (nota de pontuação de crédito). A PLC, aprovada no dia 13 de março, aguarda agora sanção presidencial. De acordo com a Serasa, o sistema pode beneficiar cerca de 137 milhões de brasileiros, o que significa 88,5% da população adulta. Fazem parte deste total os 22,6 milhões de cidadãos (14,6% da população adulta) que atualmente estão fora do mercado de crédito e que seriam totalmente incluídos por já apresentarem um histórico favorável de adimplência. O levantamento revela ainda uma redução de juros para 74% das pessoas acima de 18 anos que hoje possuem acesso ao crédito. O cadastro positivo é um banco de dados que existe desde 2011. Ele traz informações sobre o histórico de crédito tanto de empresas, como de pessoas, com pontuações. Atualmente, a inclusão do nome na lista dos “bons pagadores” no cadastro só pode acontecer com autorização expressa do cadastrado. 

Setor supermercadista fatura R$ 355,7 bilhões em 2018

O setor supermercadista brasileiro registrou faturamento de R$ 355,7 bilhões em 2018, um crescimento nominal de 0,7% na comparação com 2017, segundo a Pesquisa Ranking ABRAS/SuperHiper, elaborada pelo Departamento de Economia da Associação Brasileira de Supermercados, em parceria com a Nielsen. Os números foram apresentados em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira, 18 de março, um dia antes do início da 53ª Convenção ABRAS e 31ª Super Rio Expofood, que acontece na cidade do Rio de Janeiro, de 19 a 21 de março de 2019. O resultado registrado em 2018 pelo setor representa 5,2% do Produto Interno Bruto (PIB). A pesquisa destaca ainda que o setor encerrou o ano passado com 89,6 mil lojas e 1.853 milhão de funcionários diretos ante 1.822 milhão registrado em 2017, criando 30,7 mil novas vagas de emprego. O faturamento das maiores empresas supermercadistas do Ranking ABRAS/SuperHiper chegou a R$ 175,6 bilhões em 2018  (19 maiores sem o Walmart, que não informou seus dados). No ano anterior, essas empresas tinham registrado R$ 159,3 bilhões.

IBC-BR 

O Índice de Atividade Econômica (IBC-BR) do Banco Central (BC) registrou queda de 0,41% em janeiro de 2019, frente ao mês anterior. O recuo foi o mais expressivo desde maio de 2018, quando o indicador diminuiu 3,08%. O desempenho, medido pela série com ajuste sazonal, ocorreu após uma alta de 0,21% em dezembro de 2018. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) já apontavam uma queda da atividade em janeiro. O setor de serviços recuou 0,3% frente a dezembro, enquanto a produção industrial encolheu 0,8%. Já as vendas no varejo restrito — que excluem veículos e material de construção — tiveram alta de 0,4%. Na comparação com janeiro de 2018, porém, o IBC-BR apresentou elevação de 0,79%. Nos 12 meses até janeiro, houve crescimento acumulado de 1%.

Faturamento do atacado distribuidor cresce pelo quarto mês consecutivo

O faturamento do setor atacadista distribuidor cresceu pelo quarto mês consecutivo (0,58% em outubro, 1,14% em novembro e 1,35 % em dezembro de 2018), mostrando que o consumidor gradativamente retoma o padrão interrompido no início da crise econômica, em meados de 2014. A pesquisa mensal da ABAD (Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados), apurada pela FIA (Fundação Instituto de Administração), mostra, em termos nominais, crescimento de +4,75% em janeiro de 2019 na comparação com janeiro de 2018. Em relação ao mês de dezembro de 2018, houve recuo de -6,45%. “As famílias estão demonstrando confiança ainda que a taxa de desemprego permaneça em níveis altos. O mesmo acontece em relação à indústria, ao varejo e aos demais segmentos. O que vai pautar o ritmo do crescimento, contudo, é a capacidade do novo governo promover as reformas estruturantes necessárias para o país, como a previdenciária e a tributária. É isso que vai determinar a consolidação do cenário positivo”, afirma Emerson Destro, presidente da ABAD, destacando que o setor espera crescer em torno de 3% em 2019. Em termos reais, o faturamento do setor cresceu 0,93% em janeiro de 2019 na comparação com janeiro de 2018. Frente ao mês de dezembro de 2018, houve queda de 6,75%, um comportamento já esperado no início do ano. 

 

Notícias em Sergipe
Mais Notícias de Marcio Rocha
02/11/2019 05:25

Perspectiva do crescimento no crédito imobiliário anima mercado

30/10/2019 17:54

O para-raios da economia

19/10/2019 06:25

O IBS, a dificuldade das pequenas empresas e como isso pode afetar o emprego

12/10/2019 06:06

Expectativa de crescimento nas vendas do comércio contagia

28/09/2019 06:06

Juros abaixo de 5%: parece que ainda não caiu a ficha!

Blogs e Colunas
Marcio Rocha
Marcio Rocha é jornalista formado pela UNIT e radialista formado pela UFS, especializado em economia, com experiência de quase 20 anos na comunicação sergipana.

E-mail: jornalistamarciorocha@live.com


O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.