Abertura comercial pode gerar crescimento adicional de 1,5%
Blogs e Colunas | Marcio Rocha 09/11/2018 17:13

A abertura comercial do Brasil por meio de corte de tarifas de importação pode levar a um crescimento adicional de até 1,5% ao ano no País até 2030, de acordo com um estudo feito por pesquisadores da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Para eles, uma mudança de visão em relação ao comércio exterior poderia desacelerar o aumento de salários nos setores a atingidos, mas, por outro lado, aumentar a competitividade da indústria, o nível de produtividade e a economia como um todo. O estudo foi apresentado ontem em Brasília em um seminário promovido pela FGV e pelo Ministério da Fazenda em um momento em que representantes do presidente eleito, Jair Bolsonaro, já fizeram repetidas afirmações defendendo a abertura comercial.

Bolsa bate novo recorde e sobe mais 1,33%

O Ibovespa, principal índice da bolsa de São Paulo, bateu novo recorde ao superar os 89 mil pontos. O índice subiu 1,33%, para 89.598 pontos, numa sessão marcada por giro de R$ 12 bilhões. Os números refletem a confiança na retomada das reformas, prometida pela equipe econômica do futuro governo. O movimento de alta deve perdurar nas próximas semanas, com a perspectiva de retorno dos estrangeiros, que, em termos líquidos, retiraram R$ 6,2 bilhões em outubro.

Endividamento familiar brasileiro está estável

A parcela de renda familiar comprometida com dívidas mostrou em outubro o menor patamar em cinco meses, nas famílias brasileiras. Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da CNC, mostrou estabilidade na fatia de famílias que se declararam endividadas entre setembro e outubro (60,7%) e abaixo do observado em outubro do ano passado (61,8%). Já o percentual da renda domiciliar voltado para quitação de débitos diminuiu de 29,6% para 29,5% no mesmo período, também inferior ao de outubro do ano passado (30,8%) - além de ser o menor desde maio deste ano (29,3%). Na prática, as famílias estão com maior cautela em tomar novos empréstimos, devido ao já elevado patamar de endividamento e a ausência de sinais mais robustos de recuperação no mercado de trabalho, avaliou Marianne Hanson, economista da CNC. A inadimplência também deu sinais de queda. Entre os endividados, a fatia dos que declararam dívidas em atraso foi de 23,5% em outubro, abaixo de setembro (23,8%); e inferior à de outubro do ano passado (26%). O porcentual de endividados inadimplentes que informaram não ter condições de pagar foi de 9,9% em outubro, igual ao de setembro, e menor do que o de outubro de 2017.

Recuperação de empregos

Os empregos que mais sofreram na crise voltarão a ter bom desempenho em 2019. O comércio é um dos setores que já mostram um movimento crescente de contratações. A rede varejista Havan, a Riachuelo e a C&A são alguns dos exemplos. “Contratamos aproximadamente 7,5 mil temporários no ano passado e devemos ampliar em 5% esse número”, informou a Riachuelo. Os novos empregados preencherão, principalmente, vagas para auxiliar de logística, assistente de vendas, auxiliar de estoque e operador de caixa. Na C&A, os empregos deverão atender à alta da demanda da Black Friday, no fim deste mês, e para o Natal. Parte desse contingente ajudará a compor o quadro de funcionários fixos em 2019. A CNC projeta que 19% dos trabalhadores que entrarem agora serão efetivados após o fim do ano. 

Parceria entre Fecomércio e Arquidiocese

As tratativas para ampliar os parceiros do Natal Iluminado 2018 continuam. O diretor da Fecomércio, Alex Garcez e o superintendente da entidade, Maurício Gonçalves, visitaram o arcebispo de Aracaju, Dom João José Costa, para colocar a estrutura de palco, som e luz para a realização da missa campal da celebração em homenagem à padroeira da capital, no dia 8 de dezembro. Na reunião, os representantes da Fecomércio valorizaram a maior festa religiosa de Aracaju, destacando que todo o aparato que estará na praça Fausto Cardoso está à disposição da Arquidiocese de Aracaju para as celebrações.

Notícias em Sergipe
Mais Notícias de Marcio Rocha
18/03/2019 10:20

País perde R$ 193,1 bi com pirataria e contrabando

09/03/2019 06:05

Perdas operacionais custam R$ 20 bilhões ao ano ao varejo

23/02/2019 06:00

Após três anos em queda, Carnaval vai gerar lucro em 2019

16/02/2019 06:13

Fecomércio implanta primeira Câmara GRC do Brasil

01/02/2019 12:24

José Pastore: Sistema S e capital humano

Blogs e Colunas
Marcio Rocha
Marcio Rocha é jornalista formado pela UNIT e radialista formado pela UFS, especializado em economia, com experiência de quase 20 anos na comunicação sergipana.

E-mail: jornalistamarciorocha@live.com


O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.