Setembro Vermelho: mês da prevenção das doenças cardíacas em pets
Período também alerta para a ocorrência da Dirofilariose ou 'verme do coração'
Blogs e Colunas | Coluna de Estimação 25/09/2019 15:05 - Atualizado em 25/09/2019 15:24

O tratamento de doenças em animais de estimação não é tarefa fácil. Lidar com esse tipo de situação pega de surpesa muitos apaixonados pelos seus pets e o sofrimento é inevitável. Por isso, as avaliações médicas periódicas, são importantes para o diagnóstico precoce e evitar o avanço de qualquer doença.

O mês de setembro marca o início do movimento de conscientização para as doenças cardíacas em cães e gatos, em alusão ao Mês Internacional do Coração. A atenção e cuidado redobrados ao coração pode salvar a vida do seu animalzinho, evitando o avanço da doença que, na maioria das vezes, chega de forma silenciosa, progressiva e fatal.

Durante este período, também é alertado sobre a Dirofilariose canina, ou verme do coração. Considerada uma zoonose, a doença parasitária cardiopulmonar é silenciosa e afeta principalmente os cães, sejam eles domésticos ou silvestres. O agente causador é o Dirofilaria immitis, um parasita nematoide semelhante à lombriga, mas que se aloja no coração. Sua transmissão ocorre por meio da picada de mosquitos, como o Aedes Aegypti, que tenham picado outro hospedeiro infectado previamente. 

Veterinários apontam que os recém-infectados quase sempre são assintomáticos, ou seja, não apresentam sintomas, sendo que a gravidade da doença está relacionada com a quantidade de vermes que o portador possui, com a duração da infecção e com a resposta individual do hospedeiro. No entanto, entre os sintomas mais comuns são tosse crônica; intolerância ao exercício; fraqueza; taquipneia (respiração acelerada); dispneia (respiração rápida e curta); e perda de peso.

Diversos exames podem ser feitos para identificar o parasita, entre eles, o ecocardiograma. A doença tem tratamento e a cura é possível quando é descoberta a tempo. Por isso, médicos alertam que quanto antes for diagnosticada a doença, mais rápido, fácil e eficaz será o tratamento. Ainda assim, o ideal é a prevenção. 

"Existem as formas de prevenão tanto com repelentes, pipetas e coleiras, além das medicações mensais e a anual que é o ProHeart. Mas, mesmo tendo todos esses cuidados o ideal é sempre estar fazendo a pesquisa de microfilaria e a sorologia do verme adulto, ambos devem ser feitos para a detecção", explica a veterinária Juliene Oliveira.

Cuidados com o coração

Segundo especialistas, doenças cardíacas ocorrem com maior frequência em cães a partir dos cinco anos e de raça pequena. Porém também em raças grandes e entre a população de gatos. Entre os sintomas, estão a redução do apetite do animal, cansaço com facilidade, tosses frequentes, dificuldade em respirar, síncopes ou desmaios, maior ingestão de água e o pet não tem vontade de andar.

Especialistas apontam que é fácil confundir os sinais de doença cardíaca com os de envelhecimento, por isso fique atento e comunique a seu veterinário de confiança. Ter atenção às mudanças gerais do pet, manter o seu peso corporal normal e saudável, e conhecer as raças ou misturas para compreender os riscos de incidência de doenças são as principais orientações de veterinários.

Notícias em Sergipe
Mais Notícias de Coluna de Estimação
15/11/2019 12:29 Tratar da pelagem do pet evita surgimento de nós e de doenças de pele
É preciso ainda que os cuidados sejam realizados corretamente
05/11/2019 13:47 Limpeza dos dentes dos pets pode evitar o surgimento de doenças
Veterinários recomendam que a higiene bucal seja feita desde cedo
03/10/2019 15:14 Câncer de mama também pode atingir os pets; saiba como prevenir a doença
Segundo especialistas, 55% de cadelas e gatas atendidas na oncologia têm neoplasia mamária
27/09/2019 16:52 Kitty Lima e Ong Anjos levam campanha de bem-estar animal a Lagarto
20/09/2019 09:33

Plante uma árvore e adote um gatinho

Blogs e Colunas
Coluna de Estimação
Fernanda Araújo é formada em Comunicação Social – Jornalismo pela UNIT, pós-graduada em MBA Marketing, Assessoria e Comunicação Integrada pela FANESE. Já trabalhou como assessora de comunicação em sindicato de classe, e atualmente, é repórter no Portal F5 News. Premiada em primeiro lugar no Prêmio João Ribeiro de Divulgação Científica da Fapitec, na categoria web jornalismo, em 2018.

E-mail: fernandaaraujo.jornalismo@gmail.com


O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.